sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Arrependimento...

Hoje sinto-me assim, arrependida. Não sei se é só hoje, ou se é ao longo destas semanas que têm vindo a passar por mim sem eu me aperceber. Arrependo-me de tanto disparate que fiz, de tanta coisa que disse e, o pior de tudo, é que me condeno por não poder voltar atrás no tempo e mudar tanta coisa, como se o poder do retroceder no tempo estivesse nas minhas mãos.
Às vezes penso que todos me odeiam, que nunca gostaram nem gostam verdadeiramente de mim e que é tudo fingimento. No passado acreditei que só eu mesma gostava de mim, depois acreditei que era possível mais alguém gostar de mim, agora acho que foi tudo só imaginação minha. Só eu mesma gostei de mim e agora nem sei se gosto. Não me reconheço ao olhar para o espelho. Conseguiram arrancar de mim aquela coragem e alegria que tinha renascido ao longo destes últimos anos. Conseguiram arrancar de mim a força que tinha para lutar pelos meus sonhos. Levaram de mim a vontade de rir, de sonhar e de amar.
Deixaram comigo o pavor dos aniversários, o pavor de ouvir determinadas conversas, determinados assuntos. Deixaram em mim a perseguição das lembranças ruíns do passado, das lembranças que passei anos a tentar esquecer. Deixaram comigo o pavor do futuro e uma ânsia louca por...

2 comentários:

  1. Será que quem inventou essa frase recebe alguma comissão sempre que alguém a repete? lool

    ResponderEliminar